Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]





Memórias

por aquimetem, em 31.10.07

          Há dias encontrei na minha gaveta das recordações antigas as duas fotos que por falta de qualidade estavam condenadas ao eterno esquecimento. Entretanto ao pensar no destino que lhes havia de dar  veio-me à mente o adágio que reza "Guarda o que não presta e acharás o que queres". Foi a sorte delas... e a deste post sem as quais ficava por ilustrar...

          Ambas as fotos são anteriores à década de 70 do século passado, a primeira  foi colhida no ermo lugar da Cruz do Jugal , junto ao pedregulho que ainda conheci coroado por uma cruz de madeira e todo ele gravado com pequenas cruzes cujo significado se desconhece. Fica situado a meio do  antigo trajecto Travassos/Limões e esta foto assinala a ultima visita que conduzido pelo Virgílio dos Anjos, da Cainha, fiz ao local para ver não a desaparecida  cruz que deu o nome ao lugar, mas os vários petrográficos que adornam o histórico calhau.

 

 Calhau que susteve a cruz  que deu nome ao Jugal

Foto do 2º Convívio que decorreu em Benfica

          A colónia de Vilar de Ferreiros em Lisboa por  meados da década de 60 deu inicio a um convívio anual cujo 1º me recordo decorreu na Casa Pia (instalações de Pina Manique - Restelo) e foi animado pelo Rancho Folclórico da aldeia de Vilarinho. Com o rancho, vieram então muitos residentes da  freguesia, entre eles o respectivo abade, Sr. P. Manuel Guedes que celebrou na histórica igreja da Memória (à Calçada do Galvão) para todos os participantes desse convívio.

           Nessa igreja, confiada à capelania das Forças Armadas, está o túmulo do Marquês de Pombal que também foi quem a mandou construir para se penitenciar de muitos dos seus pecados graves. Como piada, sem piada nenhuma, recordo-me de por brincadeira ter perguntado ao sentinela que habitualmente ali prestava  serviço se me sabia dizer onde estava sepultado  o Marquês de Pombal e ele me ter respondido que era na rotunda do Marquês, ao cimo da Av. da Liberdade. Ficou muito surpreendido quando eu lhe apontei  o túmulo que estava ao nosso lado. E lá continua com o que resta do conde de Oeiras.

          O segundo encontro foi realizado em Benfica e assinalado com um animado almoço-convívio, no Edmundo .

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 00:27



Mais sobre mim

foto do autor


Arquivo

  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2016
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2015
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2014
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2013
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2012
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2011
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2010
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2009
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2008
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2007
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D
  144. 2006
  145. J
  146. F
  147. M
  148. A
  149. M
  150. J
  151. J
  152. A
  153. S
  154. O
  155. N
  156. D