Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]





Bodas de Ouro Sacerdotais

por aquimetem, em 28.09.07

           Natural de Torgueda (Vila Real), onde nasceu a 4 de Julho de 1932, o Padre Manuel Joaquim Correia Guedes foi ordenado sacerdote a 21 de Setembro de 1957.  A 12 de Janeiro de 1961 vindo de paroquiar Pardelhas e Santa Bárbara de Campanhó deu entrada na freguesia de Vilar de Ferreiros na condição de vigário coadjutor do saudoso abade Miranda, após a morte deste, a 9 de Janeiro de 1968, passou depois a pároco titular.  Temos assim que dos 50 anos de sacerdócio que no passado dia 21 o Sr. Padre Guedes celebrou, 46 foram gastos ao serviço da paróquia de São Pedro de Vilar de Ferreiros. 

           Perante o exposto não é de admirar que no sábado, dia 22, a comunidade paroquial de Vilar de Ferreiros lhe tenha promovido uma sentida homenagem de parabéns pelas Bodas de Ouro sacerdotais e de agradecimento pelo seu papel em prol da promoção espiritual, social, cultural e cívica dos seus paroquianos. Homenagem que se traduziu numa Missa solene celebrada na igreja matriz e num almoço-convívio no edifício da Junta de Freguesia.

           Os comentários que seguem ajudam à reportagem:  

Capela de São Sebastião, em Vilar, muito antiga e digna de

ser visitada. Ainda a conheci a servir  de sede da Junta de

Freguesia e também de pequeno museu. Agora restaurada

é um autêntico monumento de arte sacra.

Interior da capela de São Sebastião - Altar-mor

Igreja Matriz de São Pedro de Vilar de Ferreiros

Altar-mor da igreja matriz de 

São Pedro de Vilar de Ferreiros

A Missa solene foi precedida de uma procissão com

cruz processional e bandeiras que formou na capela

de São Sebastião 

Bandeira paroquial de Campanhó e a de Vilar

Os muitos colegas e amigos do homenageado

entrando na igreja.

Alguns dos amigos e convidados na cauda da procissão

Participação na Santa Missa

O homenageado a celebrar a Eucarístia

O Bispo da Diocese, D. Joaquim Gonçalves, no uso da

palavra para felicitar o homenageado e abrir

o momento dos cumprimentos e saudações. 

Um dos membros da Comissão Fabriqueira usando

da palavra para depois mandar fazer entrega de uma

 lembrança dos paroquianos ao Sr. Padre Guedes..

Em nome dos paroquianos da diáspora calhou ao aquimetem

deitar faladura

O presidente da Câmara Municipal de Ribeira de Pena, Dr.

Agostinho Pinto, a marcar a sua presença com um abraço

Também o Eng. Francisco Ribeiro, vereador do pelouro da

Cultura da Câmara Municipal de Mondim de Basto, veio dar

o seu reconhecido abraço ao "Padre da Senhora da Graça"

que há 50 anos serve o nosso concelho.

Alguns dos convidados e amigos mais notáveis, já no exterior

do edifício da Junta de Freguesia, onde foi servido o farto

almoço-convívio.  

 No decorrer do almoço que as cozinheiras da terras

confeccionaram e serviram.

Elementos das associações culturais da freguesia uniram-se

para no fim e durante o almoço animarem o convívio.

O mesmo sucedeu em relação aos elementos dos grupos

corais da paróquia.

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 13:52


A Escola do Souto

por aquimetem, em 13.09.07

          Para mim, este Governo que temos merece ficar na história deste inicio do Séc.XXI só apenas por um motivo: depois do 25 de Abril foi o único que veio dar razão a Salazar quando dizia que o Socialismo era uma mentira inventada pelos que nada fazem e procuram dominar aqueles que trabalham. E andei eu, e muitos como eu, a pensar mal do "António da Calçada" quando mandava varrer do País para fora toda a porcaria que cheirasse a "droga" ou a " falsas ideologias" e corrupção.  Que lá onde quer que Deus o tenha "hospedado" me perdoe o bom do "ditador" que mandou construir escolas, hospitais, pontes, palácios de justiça, estradas, pousadas, casas florestais etc. por todo o espaço Nacional que agora os socialistas de meia tigela maltratam ou desbaratam sem respeito pelo património publico.

        Ver o caso das casas florestais tanto na freguesia como no concelho que este governo acabou há pouco de passar a patacos. Mas o que deveras nesta visita a Vilar me causou tristeza foi encontrar o edifício onde aprendi as primeiras letras no estado em que está. É vergonhoso, para a terra, autarcas locais e pelouro da cultura mondinense! Ou será que estou a exagerar ?....

  Escola antiga de Vilar de Ferreiros,

em pleno centro da povoação

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 15:41


Mais sobre mim

foto do autor


Arquivo

  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2016
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2015
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2014
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2013
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2012
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2011
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2010
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2009
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2008
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2007
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D
  144. 2006
  145. J
  146. F
  147. M
  148. A
  149. M
  150. J
  151. J
  152. A
  153. S
  154. O
  155. N
  156. D